Voltar Inema SISNEMA Informatica Sites Pessoais Busca Agenda Proxima Semana English Version
Menu INEMA
.
Evento
1102
.
Incluir na PP
 
Tudo sobre pesca - Diferenças

Pescador, não perca essas dicas quentinha!


DIFERENÇAS ENTRE MOLINETES E CARRETILHAS
Carretilhas e molinetes foram criados com o mesmo objetivo: facilitar o arremesso, melhorar o desempenho da isca e possibilitar maior força de tração depois da fisgada. Mas existem diferenças entre um e outro que o pescador deve conhecer para adequar seu equipamento e garantir o melhor rendimento. Para isso, é preciso observar dois pontos:
- o tipo e as condições da pescaria;
- sua própria habilidade.
Tecnicamente, a diferença entre molinete e carretilha é mínima - basicamente a posição de entrada da linha no carretel, que no molinete é longitudinal e na carretilha é transversal.

A "alma" de um equipamento desses é o sistema de rolamento interno. Quanto mais rolamentos, melhor o desempenho e maior a facilidade de trabalho, seja no lançamento ou no recolhimento das iscas. Além de rolamentos, todos vêm equipados com sistemas de fricção e freios, que também devem ser observados. A velocidade de giro (ou recolhimento) é outro elemento importante numa carretilha ou molinete; em geral, essa informação vem impressa no equipamento com números representados assim: 6 : 1, isto é, com uma volta na manivela, o carretel gira seis vezes - pesca de peixes que correm muito, é melhor uma velocidade de recolhimento maior.

Molinetes e carretilhas também devem estar de acordo com as especificações da vara e linha; ou seja, para varas "ultraleve", molinetes ou carretilhas "ultraleve" e assim por diante, respeitando também a resistência das linhas - evite linhas grossas em equipamento leve, por exemplo. Além de molinetes e carretilhas, existem ainda o "spincast", semelhante ao molinete, indicados para iniciantes e crianças.


CARACTERÍSTICAS BÁSICAS

Fricção
A fricção regula a saída (e a entrada) da linha do carretel, que pode ser mais livre (solta) ou menos livre (presa). Em geral, a fricção é regulada em uma espécie de "estrela" ao lado da manivela das carretilhas. É possível soltar ou prender a fricção de acordo com a necessidade. Mas deve-se levar em conta que com a fricção livre demais o peixe rouba muita linha o que dificulta o recolhimento e dá chances de ele se enlocar; fricção presa demais dificulta o lançamento e, na briga com o peixe, pode quebrar a linha.

Para a regulagem da fricção é preciso saber a resistência da linha que está no carretel do molinete ou carretilha - essa informação vem impressa nas embalagens das linhas. Em geral, uma boa regulagem da fricção é cerca de um quinto da resistência da linha; por exemplo, para uma linha de resistência 20 libras, a pressão da fricção deverá estar em torno de 4 libras (20 : 5 = 4).

Para fazer esse tipo de regulagem é necessária uma balança de mão ou até mesmo um alicate com balança desses de segurar peixe. Monte o equipamento como se fosse pescar - linha, carretilha ou molinete e a isca que vai usar. Amarre a isca no gancho de pesar da balança. Segure o equipamento e peça para alguém ir puxando a balança (com a isca amarrada nela) e se afastando da vara. Enquanto a pessoa puxa a balança, vá fechando ou soltando a fricção até que, antes da carretilha ou molinete girar, a balança esteja marcando a libragem desejada - ou seja, o carretel só deve girar depois que a balança marcar a libragem determinada. Se a unidade de medida da sua balança é em quilogramas, basta lembrar que uma libra é igual a 453,59 gramas (mais ou menos meio quilo).


Freios
Os freios são uma espécie de "sintonia fina" da fricção - permitem ajustes mais sutis, embora igualmente importantes. O ajuste dos freios é fácil e deve ser feito antes de se ajustar a fricção. Monte o equipamento com a linha e a isca que vai usar na pescaria. Com a vara na posição horizontal, solte a isca, deixando o carretel girar livremente. Se a isca descer até o chão rápido demais, os freios estão muito soltos; se a isca não descer, o freio está preso demais. Tanto uma situação, quanto outra comprometem o rendimento. O ideal é que a isca desça solta, mas lentamente. Essa regulagem deve ser feita cada vez que mudar a isca em uso.







Fonte:
Melissa Correa

www.pesca.com.br

Fonte: HOBBY FISHING - ARTIGOS DE PESCA LTDA
Cidade: Curitiba-PR-Brasil
Fotos: HOBBY FISHING - ARTIGOS DE PESCA LTDA
Publicado: Patrícia Mallmann Garcia
Date: 14/01/2003 <%insert_data_here%>

  Evento 1102 - Tudo sobre pesca

   Aqui os Albuns e Fotos



  Outras matérias relacionadas:

  13/01/03 - Tudo sobre anzóis
  14/01/03 - Tudo sobre anzóis - Linhas
  14/01/03 - Tudo sobre anzóis II
  14/01/03 - Tudo sobre pesca - Minhocuçu
  14/01/03 - Tudo sobre pesca - Diferenças
  14/01/03 - Tudo sobre pesca - Iscas Artificiais
  14/01/03 - Conservação das Iscas
  14/01/03 - Modalidades de pesca

English Version: The specified statement did not generate any data
 
Envia Mensagem para a Fonte
Cria Matéria neste Evento
Cria Album neste Evento
  Aviso Legal
Rua Washington Luiz, 820 conj. 601
Porto Alegre/RS - BRASIL - CEP 90010-460
Telefone 55 (51) 3226-4111 - Ramal: 4000
Fax: 55 (51) 3226-1219
contato@inema.com.br
SIP:4000@sisnema.com.br
SISNEMA